..: Blog do Casanova: um blog inusitado e sensual :..: 2008-11-23

Coco de Mer Photo Editorial


postado por Casanova

Pica-flor - Gregório de Matos e Guerra

A uma freira que satirizando a delgada
fisionomia do poeta lhe chamou "Pica-Flor".


Se Pica-Flor me chamais,
Pica-Flor aceito ser,
Mas resta agora saber,
Se no nome que me dais,
Meteia a flor que guardais
No passarinho melhor!
Se me dais este favor,
Sendo só de mim o Pica,
E o mais vosso, claro fica,
Que fico então Pica-Flor.

postado por Casanova

A Gata e o Tigre

Esse negócio de Orkut é o bicho, acabamos encontrando tanta gente...

E foi encontrando uma amiga de juventude que me lembrei da história que vou contar.Era fevereiro e estávamos às vésperas do carnaval. Eu, com 20 anos, bunda firme seios fartos e bem, como sempre, fofinha.Sempre fui uma moça cheia, com carne pra pegar.

Estava passando dias de minhas férias com uma amiga,Helena, uma moça mais morena, mas como eu também fofinhae, com licença, bem gostosa, mas não é ela que vem ao caso.

Helena e eu sempre fomos muito unidas e confidentes e nesse ano resolvemos passar o carnavalna cidadezinha de seus pais,mas como não queríamos ficar na casa de ninguém,fomos para um quarto do hotel.

Como em cidadezinha do interior não temos muito que fazer,e estávamos cansadas, resolvemos ir conhecer um novo salão de beleza onde havia novidades em massagens.

O salão era novo tinha uma bela sala de atendimento na frentee salas no fundo para depilação, massagem e estética,tudo muito bem decorado e de um bom gosto que parecia Cidade Grande.

Helena que conhece todo mundo na cidade já ficou parada na sala de recepção eu fui até a recepcionista e ela ficou meio sem graça, quando perguntei sobre massagem, e me disse - a esteticista não tem horário pra hoje, mas o massagista esta livre.

- Tudo bem, eu preciso mesmo de uma massagem.

- A senhora me acompanha.

Fomos pelo corredor e numa das portas quase no fundo do corredor, ela parou, abrindo a porta...

- Pode aguardar aqui, algum vira ajudá-la.

- Obrigada. Respondi já entrando na sala.

Não demorou muito surgiu uma outra moça.

- Boa tarde, a senhora pode se dirigir ao biomboe tirar sua roupa. Tem uma toalha, envolva-se nela e deite sobre a maca de barriga para baixo.

- Está bem, respondi.

Nossa! na cidade grande a gente fica de lingerie. Aqui, já tira tudo! Estamos moderninhos...E rindo, me dirigi para a maca. Ao fazer menção de deitar, a moça pediu para que eu deitasse sem a toalha e que me cobriria com outra. Não fiquei muito incomodada afinal só usava fio dental. Apesar de fofinha, sempre de bunda de fora. Mesmo assim, ela me cobriu,ligou a ventilação da sala e me pediu que aguardasse.

Foram alguns minutos e a porta abriu-se novamente. Levantei a cabeça para olhar e nossaaaaaaaaaaaaaaa..... Fiquei hipnotizada; parada.Entrava um homem. Homem mesmo! Aproximadamente 1,74 de altura, uns 80 kg, cabelos castanhos. Mas o que me chamou a atenção? O fato de estar usando uma camiseta regata justa que destacava ainda mais o tamanho de seus braços,aiiiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiiiii. E que braços!

Mas nossaaaaaaa....

E aquela calça branca justíssima que fazia destacar o volume de seu membro.

Ele foi se aproximando e eu, não conseguia tirar os olhos dele, ou melhor, do volume dele.

- oi, sou o André, mas por causadas garras (mostrando-me as mãos) me chamam de tigre.

- oi, sou a Sandra, e por causa das unhas, me chamam de gata.

Rimos, e eu ria pra disfarçar a minha timidez afinal

eu estava de olho no volume dele,

deitada só com uma toalha sobre a bunda,

entregue sobre aquela maca e aquele homem a me olhar...

- e então “gata” rindo

E automaticamente falei:

- fala ai “tigre”, rindo também

- Você veio para o carnaval?

- vim sim, e estou querendo relaxar um pouco, para aproveitar bem as minhas noites.

- está bem, vou fazer o possível e o impossível para que você saia satisfeita.

Colocou em suas mãos um óleo de aroma muito bom,

e começou a deslizar sobre minhas costas,

fui sentindo o meu corpo relaxar e reagir a cada toque daquelas mãos.

Eu sabia que já estava molhada

e não teria como disfarçar, mas,

quem é que queria disfarçar alguma coisa em?

O Tigre tinha a mão forte e grande,

aos poucos fui relaxando mesmo e me entregando.

Ele sem tirar uma das mãos do meu corpo,

ligou o som, uma musica bem romântica,

relaxante e muito excitante.

Quando retornou a outra mão

já a colocou sobre minha perna

e foi descendo até o pé.

Eu já estava doidinha e pensei:

- será que se eu der uma folguinha ele avança o sinal?

Bem só fazendo pra saber,

ajeitei meu quadril e abri de leve minhas pernas,

senti vazar o meu desejo e imaginava

o que ele estaria olhando já que não tinha como olha-lo.

Estava me absorvendo em meus desejos de tal forma

que só me dei conta que ele estava bem próximo

quando sua mão deslizou sobre minha coxa

e tocou de leve minha xana úmida e sedenta.

Não tive como não reagir,

soltei um gemido bem suave, mas profundo.

Foi como dizer a aquele homem o que eu desejava.

Sua mão levantou de leve a toalha que me cobria a bunda

e senti sua mão a deslizar sobre ela.

Era um movimento circular e aos poucos

ele começou a usar os dedos

e forçava minha bunda para cima,

para o lado o que fazia com que ficasse

exposta minha xana melada bem como a entrada do meu rabinho.

Eu já não estava mais agüentando,

estiquei minha mão em direção ao corpo dele

e ao seu volume agora já também aumentado.

- é isso que você quer né vadia? Colocando seu membro duro na minha mão.

Apertei aquilo tudo com tanto desejo que pude sentir o estremecer de seu corpo.

Ele chegou bem perto de meu ouvido encostando o corpo sobre o meu disse:

- covardia não é? A gata ta ai entregue, sedenta e provocante e eu não vou aproveitar?

Vou sim.

Tirando a camiseta afastou minhas pernas

e com força puxou meu corpo

pra baixo na maca e minha xana em direção a sua boca

e como se devorasse um doce, me lambia e mordiscava o grelo.

- nossa que delicia, mas Tigre,

aiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiiiiiii, assim é covardia, não posso tocar você e nem ver.

Deixa-me virar, deixa to com tesão...

- a minha gostosa, quer me ver e me tocar é sua safada, vira que eu tenho uma surpresa pra você.

NOSSA!!!!

Quando virei que visão maravilhosa que delicia, só pude dizer:

- nossa Tigreeeeee!!! Que monumento é esse, que delicia de pau, vem cá, deixa eu tocar...

E ele rindo me puxou da maca e me colocou de joelho me oferecendo seu pau.

Eram 22 cm de puro tesão e desejo...já babando.

Comecei a devorar com minha língua

que contornava a cabeça de seu pau e

descia até as bolas percorria-as

sugando e fazendo com que ele gemesse.

Subi novamente seu pau todo e quando fui sugar a cabeça,

ele enfiou tudo, ou melhor,

quase tudo na minha boca,

segurou minha cabeça para que ficasse dentro

e o que me fez sufocar com aquele mastro todo.

- suga gatinha vadia!! Suga que estamos só começando.

E eu engasgada com aquele pau nem conseguia penar em nada,

e ele puxando minha cabeça pelos cabelos,

me fez levantar, beijou minha boca com desejo:

- agora nossos sabores são um só.

Tirando-me do chão jogando minhas pernas na sua cintura

e sugando meus seios foi colocando seu pau na entrada da minha xana:

- você é vadia e bem safada, por isso sei que não é virgem então vai agüentar o meu pau em você.

E quando fui falar já tava sendo penetrada e invadida.

Soltei um grito ate que baixo, mas ele beijando com força disse:

- não grita vadia, pois não quero mais ninguém aqui viu, você é minha agora.

Eu tava entregue vazava como uma vadia mesmo,

queria mais como uma safada e estava sedenta como cadela no cio e ele sabia disso.

- hummmmmmmmmmm você é gostosa e já ta alargada, vai agüentar bem...

E forçando me jogou de costa sobre a maca

e fui então totalmente preenchida,

aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii não foi possível agüentar

e acabei dando meu primeiro gozo,

cheio de tesão e desejo por mais.

Olhei pra ele com tanto tesão...

- vem cá safada!! Quer mais, e eu também. Afinal tem muito pau aqui pra te fuder.

E como vadia mesmo já não estava mais preocupada com nada nem ninguém:

- aiiiiii, hummmmmm! Que tesão.

Você é delicioso e me arromba com tanto tesão que não quero ficar sem ele dentro de mim, vem me fode.

- vadia gostosa, vem desce e deita aqui deixando esse cuzão pra mim.

- não, meu rabo não!

- calma gatinha, passando a mão pelo meu corpo e encochando-me bem gostoso.

- ainda não linda, ainda não.

Empurrou-me na maca abriu ainda mais minhas pernas e sem nenhum aviso meteu de vez na minha xana

- aiiiiiiiiiiii que delicia. Vai seu safado mete aiiiiii, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, ai quero gozar vai mete mais forte, fode a vadia safada, vem mete com força hummmmm, aii, hummmmmm, vem vem vem.

E num grito de êxtase anunciei o gozo profundo,

foi quando senti que ele tirou o pau de mim

deixando escorrer meu gozo

e com sua boca foi sugar e sugando me fez gozar novamente:

- isso mesmo puta vadia, gata manhosa, vaza mesmo que eu quero você bem melada e ainda mais gostosa.

- aiiii aiiiiiiiii aiiiii hum hum hum vemmm mete em mim de novo, me arromba quero sentir seu pau. Minha xana implora por teu pau. Quero ser preenchida vemmmmmmm

E ele então meteu três dedos na minha xana,

aos poucos foi colocando o quarto

e quando tirou senti que meteria seu pau...

Ele pegou dois dos dedos melados e meteu no meu cú enfiando de vez...

Segurou-me pelos cabelos puxou e disse rindo:

- agora não é mais virgem.... Vamos sua tesuda safada sei que ta morrendo de vontade que eu foda seu cú, então, relaxa e me dá esse rabão que nele eu vou gozar bem gostoso.

E tirando os dedos, cuspiu na entrada e foi colocando a cabeça

eu já sentia como se estivesse arregaçando minhas pregas,

ele lambia minhas costas e forçava mais,

quando eu relaxava um pouco novamente

ele forçava um pouco sempre lambendo minha nuca.

E eu me entregava cada vez mais para aquele homem,

que parecia mesmo um macho

a devorar a fêmea de sua espécie,

e ele passando a mão sobre meu rosto,

tapou minha boca no mesmo momento

que estocando com força me penetrou.

Nossa acho que desmaiei,

ele ficou beijando e sugando meu pescoço

até que eu dei sinal de estar melhor,

então começou seu movimento de vai e vem

que me deixava alucinada, apesar da dor,

eu estava excitada e aos poucos,

sentia um prazer enorme naquela penetração animal e devastadora.

- que delicia seu safado, aiiiiiii assim, aiiiiiiiiiii nossa não para que ta gostoso fode memso tua fêmea vem aiiiii aiiiiiiiiiiii.

- ta gostando né gata manhosa, não queria e agora ta gostando de da o cú ... hehehe, vai ficar viciada como vadia e cadela.

E rindo, aumento o ritmo e eu,alucinadamente empurrei minha bunda ainda mais contra seu paue pude sentir as bola batendo em mim, o que significava que eu estava com aquele delicioso pau todo dentro de mim.

Sabia que tava preenchida por aquele macho e me entreguei de vez ao sexo mais selvagem e delicioso. Ele aumentando bem mais o ritmo, foi apertando minha bunda e numa explosão deliciosa me encheu com tua porra.

Deitou seu corpo suado sobre meu beijou minha orelha:

- uia!!! Deliciosa você gata. Era isso que eu tava precisando, uma gata bem safada, você é perfeita.

Não conseguia nem falar, ele me beijando novamente disse:

- agora você não precisa de massagem.

Tome uma ducha. Vá para casa descanse e prepare-se vou te achar, catar e comer muito no baile.

- Hummmmmmm.

Apenas gemi. Virei meu rosto,ganhei um demorado e delicioso beijo e ele pegando suas coisas saiu.

Sandra Pereira 10/10/2008

Décimo primeiro soneto luxurioso - Pietro Aretino

Para provar tão célebre caralho,
Que me derruba as orlas já da cona,
Quisera transformar-me toda em cona,
Mas queria que fosses só caralho.

Se eu fosse toda cona e tu caralho,
Saciaria de vez a minha cona,
E tiraria tu também da cona
Todo prazer que ali busque o caralho.

Mas não podendo eu ser somente cona,
Nem inteiro fazeres-te caralho,
Recebe o bem querer da minha cona.

E vós tomai, do não assaz caralho,
O ânimo pronto; baixai a vossa cona,
Enquanto enfio fundo o meu caralho.

Depois, sobre o caralho
Abandonai-vos toda com a cona,
Que caralho eu serei, vós sereis cona.

postado por Casanova

A dama do lotação

Carlos (Nuno Leal Maia) e Solange (Sônia Braga) se amam desde jovens e, após um casto namoro, se casaram. Na noite de núpcias, Solange se recusa a fazer amor com ele. Primeiro ele implora, então em um acesso de raiva a estupra. Solange afirma que o adora, mas nos meses que se seguiram ao casamento ela não pode ser tocada por Carlos. Para provar a si mesma que não é frígida, começa uma rotina diária de seduzir homens em coletivos, homens que ela nunca viu nem verá novamente e nem mesmo sabe seus nomes. Além disto, ela tem relações com o melhor amigo de Carlos e até mesmo com seu sogro (Jorge Dória). Carlos entende que ela é infiel e, armado, confronta Solange. Enquanto isso, ela busca ajuda psiquiátrica, pois não sente nenhum remorso.

Já Viu o Filme? Comente e Dê sua Nota...
Informações Técnicas
Título no Brasil: A Dama do Lotação
Título Original: A Dama do Lotação
País de Origem: Brasil
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 111 minutos
Ano de Lançamento: 1978
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.:
Direção: Neville de Almeida



video

postado por Casanova

O abraço - Pablo Picasso

Pablo Picasso é um dos grandes pintores espanhóis do final do século XIX e início do século XX. Sua biografia é um cardápio das mais variadas experiência de um homem que, como poucos em sua profissão, teve seu trabalho reconhecido ainda em vida.

Admirador de mulheres, boêmio, espírito anárquico, Picasso era um turbilhão de idéias que resultou em uma vida artística repleta de nuances e estilos.
"O abraço" é uma das minhas favoritas.

Saudações,
Casanova.

L'étreinte, Pablo Picasso (1903) - Musée de l'Orangerie

Postado por Casanova

Your Touch - Rosemary J. Gwaltney

Your hands and your eyes speak louder
To my heart than life
Move my mind more swiftly than the wind
Flare my soul with more heat than the sun
Melt my body more tenderly than water

The touch of your big hand
So loving on my welcoming skin
Ever awkward from your boyhood
Endearing in its uncertainty
Even after thirty-six years
Its rough skinned warmth
Speaking worlds of love to me
In its eternal gentleness -
So reassuring through life's storms ...
Even the one when you were flung
Behind the glass - apart from me;
For even in that nightmare time,
The matching of your hand to mine
Still comforted my spirit
As ever it will do
As ever it will do